domingo, 16 de maio de 2010

Top 6 - Amizades Inusitadas

Costuma-se dizer por aí que os amigos são a família que a gente escolhe. Consequentemente, quando se pensa em um grupo de amigos, teoricamente são pessoas com interesses em comum, que gostam das mesmas coisas, tem pontos de vista parecidos, frequentam os mesmos lugares, enfim, que se identificam.

Felizmente, a vida não é assim tão certinha, e você se pega indo feliz naquele show de pagode para acompanhar o amigo, porque sabe que ele um dia vai junto com você ver a sua banda de rock favorita. Ou vai ao cinema passar duas horas ouvindo declarações de amor num filme meloso, porque no fim de semana seguinte seu amigo vai ficar de olhos fechados naquele filme de terror que você está louco para ver. Ou fica horas tentando provar para sua amiga skater como Jate is Fate (tá, essa é um tanto forçada, amigo skater não dá!).

Em Lost, muitas amizades improváveis surgiram em seis anos de show. Personagens tão díspares, que começaram com o pé esquerdo e depois criaram laços fortes de companheirismo e amizade. Algumas das duplas citadas na nossa pesquisa no Twitter foram Mr. Eko e Charlie, Sawyer e Miles, Juliet e Sawyer (amizade que começou com choque elétrico e virou amor), Locke e Walt, Shannoon e Sayid (outra amizade que virou amor), Hurley e Charlie e Hurley e Miles. Mas somente 6 duplas podem estar no nosso top, e são essas:

6- Locke e Boone

Locke era, na primeira temporada, uma mistura perfeita de auto-suficiência, sabedoria e mistério. Ele caçava, seguia rastros, dava conselhos, era controlado e calmo. Boone era só um jovem apaixonado pela irmã postiça, que tinha boas intenções mas era dominado pela inexperiência e pela irmã mandona. Como esses dois opostos se tornariam amigos?

Uma das primeiras amizades forjadas na ilha, acho que Locke exercia um fascinio em Boone, que de certa forma, almejava ser um pouco como Locke. Foi para Boone que Locke contou da escotilha, e os dois juntos esconderam de todos o achado, cavando em segredo. Foi Locke que mostrou a Boone como se livrar das imposições de Shannoon.

Infelizmente, a amizade acabou em desastre. Boone, a pedido de Locke, que está com a perna machucada, sobe no avião de Yemi. Ele consegue fazer contato com os sobreviventes da cauda do avião (sem saber quem eram eles), mas acaba se ferindo gravemente quando o avião cai do penhasco. Locke o leva para Jack, dizendo que ele caiu durante uma caçada. Jack tenta salvar Boone, em vão. No final, Boone morre sem Shannoon nem o amigo Locke a seu lado.

5 - Sawyer e Jack

Um é solitário, sarcástico, debochado, egoista. O outro é altruísta, sério, sempre pensando mais nos outros que em si mesmo. Um canaliza sua raiva afastando as pessoas, o outro se concentra em consertar tudo e todos. O lema de um é "cada homem por si mesmo". O lema do outro é "viver juntos ou morrer sozinhos". Não fosse isso suficiente, os dois amam a mesma mulher: Kate.

Tão opostos quanto possível, Sawyer e Jack travaram batalhas verbais e físicas durante boa parte desses seis anos, inclusive disputando Kate. Jack foi acusado de impulsivo por Sawyer. Sawyer foi taxado de ladrão. Mas conforme as temporadas foram passando, um admirava o outro, e seus objetivos foram os mesmos. A interação dos dois passou de tensa a divertida em vários momentos, e também teve muitos momentos de emoção, como toda boa amizade tem.

Sawyer chegou a trocar confidências com Jack, e disse que ele era, na ilha, o mais parecido com um amigo. Jack aceitou ordens de Sawyer sem questionar, sentindo que não era o líder naquela hora. Se nesta parte houve entendimento, com relação a Kate, nada feito. Os dois continuaram numa "guerra fria" pelo amor dela. Como diz a Lilica, se não fosse por Kate, Sawyer e Jack poderiam ter sido melhores amigos.

4 - Jin e Sawyer

Como se pode ser amigo de uma pessoa que nem mesmo fala sua língua?! O sério Jin não tinha nada a ver com o debochado Sawyer. E as adversidades da ilha os colocaram lado a lado.

Depois de construirem a balsa, de partirem e se verem explodidos em pleno mar, Jin e Sawyer (junto com Michael) passaram maus pedaços nas mãos dos tailies. Desde a segunda temporada, a amizade dos dois acabou se fortalecendo.

Sawyer se preocupava sinceramente com Jin, e as viagens no tempo os aproximaram. E quem não se lembra da hilária lição de inglês que o bêbado Sawyer dá ao bêbado Jin? Quando se viram presos nos anos 70, em plena dominação Dharma, os viajantes tiveram que se unir para sobreviver. A última e maior demonstração da amizade de Jin, e que Sawyer nem viu, foi mandar Jack levar o desacordado Sawyer embora do submarino, numa clara mostra de preocupação. Quantos amigos fariam isso por você?

3 - Michael e Jin

A língua foi a menor das barreiras entre Jin e Michael. Antes de se tornarem amigos, eles trocaram socos pela praia, por causa do relógio que o pai de Sun tinha mandado Jin entregar nos Estados Unidos, e que Michael achou e estava usando.

Jin passou várias horas acorrentado a carcaça do avião, e Michael proibiu Walt de chegar perto dos coreanos. O preconceito, mais até do que a suspeita de roubo do relógio, contribuiu para este começo turbulento. Quem poderia imaginar que dois personagens que se odiavam poderiam se tornar grandes amigos? No entanto, durante a construção da balsa, eles já começaram a se entender. Eles continuaram brigando, claro, mas Michael até já traduzia o que Jin queria dizer. A adversidade da explosão e de se verem aprisionados pelos tailies os uniu ainda mais.
 
Michael se viu apoiado por Jin em sua busca por Walt, e também perdoado, quando retorna a ilha no cargueiro de Widmore. Jin ficou com ele até o último minuto, tentando desarmar a bomba e salvá-los da iminente explosão. Mais uma demonstração da lealdade de Jin com os amigos.

2 - Charlie e Desmond


Já imaginou dizer a seu amigo que, não importa o que você faça, ele vai morrer? Esta foi a notícia que Desmond teve que dar a Charlie, depois de salvá-lo várias vezes de morrer.

Depois da explosão da escotilha, na segunda temporada, Desmond passou a ter flashes do futuro, e muitas dessas visões mostravam Charlie morrendo. Tentando ajudar, Desmond acaba passando a impressão de que está dando em cima de Claire, o que desperta o ciúme de Charlie. Sentindo-se ameaçado pelo escocês bonitão, Charlie faz cara feia e até embebeda Desmond para descobrir alguma coisa.

Quando Desmond finalmente conta que Charlie vai morrer, a amizade deles se fortalece. Charlie tenta levar a vida na ilha normalmente e Desmond se ressente por ser portador de más notícias. Até que Desmond diz que viu Claire saindo da ilha num helicóptero, levando Aaron. E Charlie entende que talvez tenha chegado a sua hora. Ele vai se sacrificar para que Claire e Aaron possam se salvar.

Charlie se oferece para mergulhar e desligar o mecanismo que impede a comunicação para fora da ilha, na estação Looking Glass. E precisa nocautear o amigo Desmond, que no último minuto tenta, mais uma vez, salvá-lo. Na estação, Charlie consegue desativar o sinal, e só ele poderia ter feito isso: o teclado tinha sido programado por um músico, e Charlie tinha como pista da senha, uma música. É ele o único a falar com Penny e descobrir que algo estava errado com o cargueiro e seus ocupantes. É ele, então, que acaba por salvar Desmond, trancando-se e morrendo afogado quando Bakunin detona uma granada. O olhar que Desmond e Charlie trocam pela janela da sala, que rapidamente se enche de água, diz tudo sobre a amizade dos dois: curta, mas intensa.

1 - Hurley e Sawyer

O cara mais boa praça da ilha amigo do Sawyer? Com razão essa dupla ficou no topo deste Top 6!

Enquanto Sawyer se esforçava em estragar o clima e fazer todo mundo ficar (ainda) mais desconfortável com a situação que estavam vivendo, Hurley só queria ver o povo feliz. Sawyer revirou todas as malas e guardou o que pode para negociar favores. Hurley distribuiu comida e fez um campo de golfe. Sawyer apontava defeitos e apelidava. Hurley confiava e acreditava nas pessoas. Sawyer só sabia de si. Hurley olhava para todos.

E mesmo assim, eles ficaram amigos. Claro que não de cara...Hurley, desde sempre, foi o alvo dos apelidos mais mordazes de Sawyer: Stay Puff, Prato Cheio, Jabba. Sem piedade, apontava o excesso de peso de Hurley. Zombava de sua ingenuidade, de sua insegurança, de seus medos, de suas ideias. E Hurley aguentou calado, com aquele jeitão resignado, de quem ouviu aquilo quase que a vida toda e dado razão a quem falava.

E então, um dia, ele se encheu. Numa das cenas mais hilárias da série, digna de desenho animado, ele enche Sawyer de porrada, e ainda destrói a cabana do cara! O acampamento inteiro se espanta, menos Jin, que está as gargalhadas...é a vingança de todos os apelidados nas mãos de Hurley.

A amizade dos dois acaba deslanchando. Hurley abraça a ideia e ajuda Sawyer a ver que pode ser um líder (enquanto Kate, com Sayid e Locke, estão resgatando Jack na Otherville), trazendo a tona o lado bom do golpista. Sawyer não demonstra, a princípio, sua amizade, mas se sente o protetor de Hurley. E eles acabaram formando uma das duplas mais amadas e mais inusitadas de Lost. 

3 comentários:

Ricardo Martins disse...

Que belíssimo post!!!

A introdução foi digníssima! Mas o Tpo 6, foi perfeito!

Tiveram outras tantas amizades em LOST, mas pude perceber que tão significativa como essas não!

Em plena última semana de LOST, ler este texto até emociona! Pois LOST foi um amigo nosso, que irá partir, mas eternamente ficará em nossos corações! =]

Parabéns pelo texto Fabi!!!

Fabi Abrams disse...

Obrigada Ricardo! Eu que fico emocionada com os elogios!

Acho que o post ficou tão legal pq Lost me deu amigos, alguns tão inusitados quanto as duplas do Top 6!!! O próprio Café é prova dessa amizade hehehehhe...

KA disse...

Genial! Muito bom mesmo. Parabéns! Vou indicar lá no Defenda!
Bjs